Troca de Links: Vou ser punido no Google? É Black Hat?

Pouco depois de descobrir que links fazem parte do algoritmo de classificação do Google e que ajudam um site a conseguir as primeiras posições nos resultados de busca, as pessoas já partem para confabular possibilidades mais rápidas e mais fáceis para conseguir links.

Em pouco tempo elas chegam à ideia de fazer a troca de links, que para ajudar ainda parece um “ganha-ganha.” Depois, surge uma dúvida como essa:

Eu tenho cerca de 4 sites, todos de assuntos distintos, seria black hat eu criar um link na lateral dos 3 sites enviando link para meu outro site? (Se somar as páginas dos 3 sites são quase 15 mil páginas que se transformariam em link). Grato.

Troca de Links é Black Hat? Vou ser punido no Google

A troca de links, sim, pode ser classificada como black hat e, como tal, essa troca de links pode, sim, levar um site a uma penalização no Google.

O debate de troca de links é bem interessante, envolve questões que vão além de ter links recíprocos, trocados com outros sites ou não.

Naturalmente, por base a resposta é sempre “não faça troca de links,” pois é a recomendação que existe na própria lista de diretrizes para webmasters do Google:

Não participe de esquemas em que os links são usados para aumentar a classificação do seu site ou que utilizem o PageRank

Onde esquemas englobam, e não se limitam a:

  • Links com intenção de manipular o PageRank.
  • Links para spammers e “más vizinhanças” na web.
  • Excesso de links recíprocos ou excesso de esquemas de troca de links (“Direcione seu link para o meu site que eu direciono para o seu”).
  • Compra e venda de links aprovados (sic) pelo PageRank

Navegando pela ajuda do Google para webmasters você vai encontrar outras explicações sobre tudo isso e também a recomendação sobre como fazer para ganhar links naturais.

Como está ali na lista de esquemas de links, o “excesso de links recíprocos” é um problema. O que é difícil medir, na maior parte dos casos, é justamente esse excesso.

O que é excessivo? 1.000 links? 10? 45.640? Seria somente essa troca de sidebar, que acaba por gerar milhares de links?

Esse tipo de resposta é difícil de encontrar, a quantidade vem até a ser uma questão subjetiva. Ela poderia estar atrelada a um percentual: “se 30% dos backlinks forem provindos de troca de links, então é manipulação de PageRank.”

Isso tudo leva a outro ponto, que não é comentado na ajuda do Google, porém é frequentemente citado por seus intermediários com os profissionais de SEO: o perfil de backlinks.

Digamos que o  “normal” seja um website ter links de diversas fontes, como outros blogs da área, alguns blogs que nem são da área, links de redes sociais, agregadores de conteúdo, as vezes diretórios, talvez sites de notícias ou fóruns e por aí afora.

Tudo isso compõe o perfil de backlinks de um site, que é onde está a chave da discussão.

Quando o perfil de backlinks de um site é bem diversificado e distribuído, tem-se, provavelmente, um site mais interessante do que um que tenha o perfil de backlinks concentrado em 1 ou 2 pontos: somente links de diretórios, somente links de fóruns (e poucos fóruns); ou a maioria dos links é de troca de links com 2 ou 3, talvez mais sites.

Ainda, quando o perfil de backlinks de um site foge do seu padrão, para um novo radicalmente diferente, por exemplo: milhares de links aparecem em fóruns, ou comentários em blogs, ou mesmo links na sidebar/footer de outros sites e sem nenhuma razão aparente. Esse pode ser o caso de o Google olhar com novos olhos aquele perfil de backlinks.

Será que foi natural? Será que foi manipulado?

Troca de Links: Nunca?

“Então já entendi. Não devo trocar links, certo?” Errado.

O Google não é contra a troca de links em si, nem mesmo contra a compra/venda de links. O Google é contra o uso desses artifícios para manipulação de rankings, ou seja, enquanto você não envolver o PageRank na troca de links, está tudo bem.

Se você engajar neste tipo de prática, utilize o atributo rel=nofollow nos links e apenas “troque tráfego” entre os sites, não PageRank/Link Juice.

Quando um determinado conteúdo de um dos sites for realmente útil para complementar o conteúdo do outro, faça o link ao longo do conteúdo, como eu fiz aqui com o link para as diretrizes do Google.

E atenção: se você abusar dessa troca de links no conteúdo, voltamos a estaca zero. Então bloqueie agora, já, esta ideia que você acabou de ter sobre planejar 2, 3, 5 conteúdos por semana para apoiar a troca de links em conteúdo. Não faça isso.

Particularmente, em experimentação com blogs de nicho, já vi toda uma rede ser penalizada no Google após a troca de links simples via sidebar. Adicionalmente, após a remoção da troca de links e pedido de reconsideração, os sites foram libertados da penalização.

Uma ideia mais interessante é criar 1 página no site para explicar/contextualizar o outro site e usar o link de sidebar para apontar essa página. Aí você evita troca de links e faz apenas 1 recomendação bem encaixada.

Você já teve sites penalizados por essa, ou outra ação? Comente abaixo.

Leitura recomendada:

10 thoughts on “Troca de Links: Vou ser punido no Google? É Black Hat?

  • Bem interessante o modo na qual explicou, melhor então é evitar. Estava pensando em criar um site para fazer link para o principal, após ler acho melhor deixar da maneira como está.

  • É Amanda, isso já entra na configurações de um dos “esquemas de links” que o Google não recomenda, o link farm. Você pode até fazer, mas use o atributo rel=”nofollow” para evitar problemas.

  • Bem, como sempre é dito nestas discussões é claro que o que é penalizado é o exagero!

    se você possui sites com links nos sidebars, footers, apenas para troca de link, obviamente o Google percebe.

    Uma maneira muito eficiente de conseguir “trocar Links” sem apelar ou não dizer que você está jogando sujo, é inserir os links dentro do conteúdo de sua página.

    Não sei se vocês já repararam, mas os artigos do SEOMoz tem muitas referências a outras materias (internas e externas), massempre durante uma dissetação do artigo, não existe sidebar, footer, linkbar, bar de bar etc…

    Na minha opnião: criou uma coluna que seja apenas para links relacionados, é falta de criatividade e apelação das mais descaradas e fracas.

    Link se obtêm por qualidade de material, não por “nichos semelhantes” ou “amiguinhos”.

  • Caraca, não sabia disso não…

    Mas me diz uma coisa: no meu blog antigo eu tinha uma lista de links na sidebar e ainda assim cheguei a PR4. Como é possível então?

    Grato,

    Ueritom

  • Troca de link passa PageRank/Juice normalmente. Quando o Google decide que é abuso, ele te penaliza. Quando ele entende que está tudo dentro dos conformes, você recebe as vantagens.

    O Google não é contra a troca de links assim ao pé-da-letra. Somente quando é abusivo, manipulativo, responde por 90% do seu perfil de backlinks ou coisa do tipo. E como tudo isso é subjetivo, ou variável, cabe ao Google mesmo as métricas para definir quando e quanto pode e quando e quanto não pode.

    No seu caso, pelo visto, tava tudo ok. 😉

  • Os links para páginas do próprio site é considerado troca de links?
    A dúvida é porque estamos iniciando agora nesta parte de SEO.

  • embora seja um post interessante acaba por não explicar muito, tudo afinal fica no segredo dos deuses. não há uma maneira objectiva de controlar a situação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *