Otimização de URL, Re-escrita e Redirecionamento

urls amigáveis

Se você tem dúvidas como:

  • URLs muito longas atrapalham SEO?
  • Posso usar números na URL para identificar um item?
  • Posso ter parâmetros nas URLs do meu site?
  • É melhor usar hífen ou underline para separar palavras?
  • Qual a melhor “extensão” para a página? .html? .php?

Ou qualquer outra dúvida relacionada às URLs do seu site como a reescrita ou o redirecionamento, prepare um café e boa leitura 😉

Anatomia de URL (Unique Resource Locator)

URL é a sigla para Unique Resource Locator, em português traduzido para Localizador Único de Recurso, ou Localizador Padrão de Recurso. Em termos técnicos, a URL é todo o endereço no qual um conteúdo está localizado, do http até o último caractere:

http://www.umsite.com.br/um-subdiretorio/uma-pagina-no-site.html

O HTTP é o identificador de protocolo a ser usado para a transmissão de dados. Existem outras opções como o FTP, além das variações seguras do HTTPS e FTPS. Não importam para SEO.

O www é um subdomínio, ele pode não ser utilizado em um site, bem como pode assumir qualquer outro nome. “WWW” não é um caminho obrigatório para um site funcionar, apenas é muito muito comum de ser utilizado.

Em seguida, vem o nome do site, que é também o nome do domínio. No exemplo: “umsite,” mas pode ser virtualmente qualquer nome.

A TLD (Top-Level Domain) vem logo depois do nome do domínio (.com) e, no exemplo, está acompanhada da ccTLD (.br) – Este também costuma ser tema de dúvida e está resolvida no meu outro guia: .com, .org, .net – Qual o melhor?

Finalmente vem a porção da URL que geralmente é abordada quando se fala em otimização de URL: o subdiretório e o caminho da página, incluindo a “extensão” desse caminho (.html).

Contudo, desde o HTTP, a escolha pode influenciar os resultados com SEO.

HTTP ou HTTPS?

A recomendação oficial do Google é que seja usado o HTTPS, o protocolo seguro de transmissão de dados. Ele informa que há uma contagem de pontos a mais para sites usando o HTTPS.

Ele não informa se faz também uma pesagem diferente para a velocidade de sites usando esse protocolo e, isso é um problema, pois o HTTPS é mais lento do que o HTTP.

Não há 1 relato positivo sobre trocar o site de HTTP para HTTPS e conseguir subir nos resultados do Google. O melhor que aconteceu foi o site ficar na mesma, não melhorou nem piorou.

De toda forma, é muito válido ter o site no HTTPS, pois assim também foi com a recomendação para que os sites fossem amigáveis a dispositivos móveis: inicialmente, não fez diferença ter ou não um site direcionado a esses dispositivos; até que veio a atualização que realmente jogou para trás sites que não eram amigáveis.

Esse pode ser o caminho com o HTTPS também: avisos amigáveis e recomendações até que venha a correção definitiva. Melhor estar com o site pronto.

Subdomínio

Imagino que o www é tão famoso porque no início existiam apenas Intranets, redes fechadas de computadores, até que chegou a Internet, a rede mundial de computadores e aí, uma parte da Intranet passou a ficar disponível para a rede mundial ou World Wide Web: WWW.

Por consequência, o www ficou convencionado para ser usado como a identificação de que aquele caminho do domínio estaria direcionado para acesso externo.

Ele é importante para SEO? Tanto quanto o caminho até o endereço de uma página, mas não tem nenhum destaque especial a mais.

Nome de domínio

Esse item é um capítulo especial à parte. Ele tem influência diferenciada em rankings e, quanto menor o nicho, geralmente maior é o peso que o nome do domínio pode levar para os rankings.

Ao longo do tempo, o Google vem se movimentando para diminuir essa relevância diferenciada que o nome de domínio tem, pois realmente um nome bem escolhido consegue (conseguia) chegar ao topo da busca por si só, independente de outros fatores como conteúdo ou links externos.

Apesar desse diferencial, sustento a escolha de desenvolver uma marca que funcione como uma identidade para a empresa, produto ou serviços, sobre escolhe um nome de domínio cheio de palavras-chave.

O Google tem caminhado a passos largos para priorizar conteúdo de qualidade e qualidade para o seu usuário. Domínios e palavras-chave vão ficar em segundo plano, eventualmente.

TLD e ccTLD

Via de regra, não faz diferença, mas é melhor você ler o guia sobre o assunto para ter o contexto completo de “não faz diferença” e para não fazer escolhas questionáveis: .com, .org, .net – Qual o melhor?

SEO e o caminho de URLs

Desde o início do sistema de classificação de sites do Google, as URLs sempre tiveram o mesmo kit de recomendações e elas se sustentam até hoje:

  • Curtas;
  • Descritivas;
  • Com palavras relacionadas ao conteúdo;
  • Sem parâmetros.

É realmente simples assim e se você está gastando tempo para chamar uma URL de otimizada ou não, provavelmente você está pensando demais no assunto e procurando justificativas para uma URL que não está bem, passar nos critérios.

E sim, as recomendações tem suas variáveis.

URLs muito longas atrapalham SEO?

O tamanho da URL é significativo e houve um tempo que até se recomendava uma quantidade de caracteres. Em pouco tempo, foi substituída para uma recomendação sobre quantidade de palavras: cerca de 4 ou 5 palavras principais sobre o conteúdo da página, sem fazer spam.

Essa recomendação é válida, mas você precisa ponderar sobre a página em si. É muito comum páginas de produtos terem URLs longas, páginas de blogs também, geralmente usando o título inteiro. Não tem problema, nessas páginas faz sentido.

O que vai atrapalhar é você ter uma página sobre SEO e a URL ficar /seo-search-engine-optimization-otimizacao-de-sites-marketing-de-busca-google-seo

Entendeu a ideia?

Posso usar números na URL para identificar um item?

Via de regra, é melhor não usar. Errado mesmo é se a URL for identificada apenas pelos números (/123456), pois a ideia de ter palavras na URL é porque ajuda uma pessoa a ganhar noção sobre o conteúdo da página e o Google leva em conta nos seus algoritmos (pelo mesmo motivo).

Se você está em um sistema que obrigatoriamente te prende aos números, considere trocar de sistema. Talvez ele tenha outros empecilhos que ainda vão entrar no seu caminho.

Posso ter parâmetros nas URLs do meu site?

Preferencialmente: não tenha. Errado será a URL ficar apenas nos parâmetros (/?p=12&c=36&i=linha-A), seja com palavras ou números. Os parâmetros abrem oportunidades para falhas a mais, inclusive, então vale evitar.

“Mas nem os parâmetros UTM?” – Para esse tipo de parâmetros ou outros nessa linha, você deve apenas lembrar de usar a canonical tag.

É melhor usar hífen ou underline para separar palavras?

O hífen é a melhor opção, mas não é como se alguma outra fosse penalizar ou descreditar o seu site. Se você já tem, por exemplo, o underline bem estruturado, não precisa se preocupar em mexer com isso.

Qual a melhor “extensão” para a página? .html? .php?

Não faz a menor diferença e, tal como no item anterior, se você já tem o site inteiro construído e as URLs já usam uma determinada extensão (ou nenhuma), não precisa se preocupar em mexer.

Se você vai começar um novo desenvolvimento, um novo site, vai fazer uma migração de plataforma, ou algo nesse sentido, você pode considerar ficar sem nenhum complemento na URL, é a melhor opção apenas por praticidade, não tem relação com rankings.

Redirecionamento e Reescrita de URLs

Já se você vai precisar mexer, ou simplesmente quer alterar o modelo no qual o seu site se encontra, você vai ter que lidar com pelo menos 1 desses 2:

  • Redirecionamento de URL;
  • Re-escrita de URL.

Redirecionamento de URLs

Sempre que você altera o endereço de um conteúdo, é crucial fazer o redirecionamento permanente (301) para que o Google saiba onde encontrar o conteúdo. Se você não faz o redirecionamento, o Google não vai saber que o conteúdo mudou de endereço, embora ele possa ainda encontrar a nova URL.

Porém, toda a autoridade e posicionamento do endereço antigo ficará perdido. O redirecionamento entra em cena para resolver isso.

Conforme for o sistema do seu servidor (Apache, NginX, IIS …), haverá uma forma específica para fazer o redirecionamento. Pesquise nessa direção se precisar usar.

Reescrita de URL

Já se o seu site se apoia em parâmetros para construir o conteúdo da página corretamente, você poderá usar a reescrita de URL para manter a consistência de conteúdo, bem como redirecionar eventuais endereços antigos para os novos.

O processo de reescrita basicamente leva em conta as informações da URL para fazer uma consulta interna ao banco de dados e retornar o conteúdo correto. Por exemplo:

  • URL acessada: http://seusite.com/conteudo/seo/o-que-e-seo
  • É reescrita para http://seusite.com/conteudo?cat=seo&post=o-que-e-seo

A URL é reescrita mas não é redirecionada. A chamada de URL com parâmetros é apenas interna no servidor. Novamente, conforme for o sistema do seu servidor (Apache, NginX, IIS …), haverá uma forma específica para fazer a reescrita.

SEO para URLs

Otimizar URLs é um processo que tem motivos bastante técnicos em SEO, mas na maior parte dos casos você não precisa se preocupar com toda a tecnicalidade da coisa.

Plataformas como o WordPress e muitas outras já cuidam do sistema de providenciar URLs amigáveis para os conteúdos que você tenha no site.

Ter as URLs amigáveis é apenas parte do todo em SEO. Para aprender tudo que você precisa fazer, inscreva-se nos cursos online de SEO do Mestre Academy!

Leitura recomendada:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *